25.9 C
Rio de Janeiro
Maxx Saúde
Gestão Hospitalar

Como controlar o inventário de forma correta?

via Vestatech

Em uma instituição de saúde, os equipamentos hospitalares cumprem um papel cada vez mais fundamental nos atendimentos aos pacientes.

Nesse cenário, a gestão hospitalar que se preocupa com a qualidade de seus atendimentos reconhece a importância da engenharia clínica.

E ela é a responsável pela gestão dos equipamentos e deve, entre outras obrigações, realizar o controle do inventário.

A importância do controle do inventário

O parque tecnológico de um hospital costuma ser complexo e deve contar com uma ampla gama de soluções e equipamentos.

Dessa forma, ter um controle do inventário baseado nas melhores práticas é essencial para o bom andamento das atividades.

Além de esse controle permitir que se faça a melhor gestão desses recursos, ainda se mostra imprescindível para obtenção de certificações.

Ter uma lista com as informações básicas de cada recurso existente no hospital é um passo importante.

Mas, para melhorar a gestão é indispensável ir além. Por isso trazemos aqui dicas para essa realização.

  • Crie um sistema de codificação e rastreamento

As novas tecnologias são importantes aliadas da gestão hospitalar, inclusive no controle do inventário.

Um sistema de codificação integrado com software e sistemas auxilia no acesso às informações de cada equipamento.

Um bom exemplo são os QR Code que, quando acessados, levam a um banco de dados as informações necessárias.

Mas, que informações são essas?

Informações que devem constar no cadastro de equipamentos hospitalares

Como dissemos acima, os equipamentos hospitalares são caracterizados por sua alta complexidade.

De tal forma, é preciso ir além das informações básicas para que se tenha o melhor controle.

Alguns dados devem constar obrigatoriamente no cadastro, entre eles:

  • Nome técnico;
  • Nome e modelo comercial;
  • Localização;
  • Código;
  • Número de série;
  • Número de patrimônio;
  • Número de registro/cadastramento na Anvisa, quando aplicável;
  • Data de instalação;
  • Identificação do nível de criticidade do equipamento para o processo;
  • Razão social do fabricante;
  • Data e valor da compra;
  • Período de garantia.

Além disso, é preciso estar atento à ficha de vida, que deve conter todo o histórico do equipamento dentro da instituição, com informações, como:

  • Tipos,
  • Quantidades;
  • Frequência de quebra;
  • Modelo e serviço;
  • Idade;
  • Taxa de utilização e ociosidade;
  • Histórico de manutenções;
  • Operadores;
  • Etc.

Com todas essas informações, é possível organizar toda a gestão dos equipamentos de forma a obter os melhores resultados.

No mundo moderno não há mais espaço para “achismos” e tomadas de decisões não fundamentadas.

Especialmente em hospitais e clínicas onde o foco é a nossa saúde.

Não deixe que o controle do inventário seja um fato de menor importância em sua gestão hospitalar.

Quando bem-realizado, ele contribui para reduzir custos, melhorar a qualidade de atendimento e os resultados de sua instituição.

Gostou deste artigo? Continue acompanhando nosso blog e tenha acesso a mais dicas para melhorar a gestão de seu hospital.

Até a próxima!

FONTE: Vestatech Engenharia Clínica | www.vestatech.com.br

Postado por: Maxx Saúde

Related posts

Melhoria da relação médico-paciente

MAAXSAUDE

Gestão hospitalar: entender seus recursos financeiros é essencial!

MAAXSAUDE

Insulina inalável pode ajudar no tratamento do diabetes

MAAXSAUDE

Deixe um Comentário